Ativismos da Sustentabilidade

Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo. José Ortega y Gasset (1883-1955). Filósofo

Pra quem quiser outra opinião: Ilha das Flores: depois que a sessão acabou

De acordo com a a Comissão Mundial para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (ca. 1980), SUSTENTABILIDADE é o “desenvolvimento que dá respostas às necessidades do presente, sem comprometer a capacidade de as gerações futuras darem respostas às suas proóprias necessidades”. Inicialmente, a definição de sustentabilidade foi fundada em três pilares: econômico, ambiental e social. Em 2001, Jon Hawkes, (The Fourth Pillar of Sustainability – Culture’s essential role in public planning) defendeu “a importância primordial da cultura e seu valor inestimaável para avaliar o passado e planejar o futuro”, resultando na inclusão da cultura como o quarto pilar da sustentabilidade.
Existe muita discussão acerca das definições de sustentabilidade, portanto disponibilizamos, no final da página, algumas referências para que você construa a sua definição.
Nós seguimos a ideia de “sustentabilidade” surgida na Biologia, onde esse conceito é usado para medir o quanto certo ambiente ou ecossistema suporta mudanças sem ser totalmente destruído com a intenção de preservar esses ambientes. O mundo vive hoje uma crise sem precedentes de sustentabilidade, o que significa que corremos sério risco de nos destruirmos.
Nós chegamos a esse ponto porque os atuais níveis de consumo exigem um volume de produção gigantesco de produtos, o que consume muita energia e matéria prima e gera uma quantidade imensa de lixo e poluição.
A crise da sustentabilidade precisa ser entendida em dois eixos: espaço e tempo.

    • Espaço: por que os problemas surgem em uma área devido a problemas que ocorreram em outro lugar. Ex: degelo ártico atinge as nações ilhas do Pacífico; água parada em uma construção vira foco de dengue que atinge as casas em volta; desmatamento ao redor da nascente de um rio causa uma seca a quilômetros adiante ao afetar os lençóis subterrâneos e o ciclo de chuvas.
    • Tempo: o que ocorre hoje é resultado de efeitos passados e causa de efeitos futuros. Por exemplo, o desmatamento de uma encosta para construção anos depois causa um deslizamento em que morrem pessoas; consumo desenfreado hoje gera endividamento e exaustão de recursos amanhã; a construção de um condomínio que mata uma nascente afeta o nível de um reservatório de água na época da estiagem.

Para piorar, a desigualdade social agrava os problemas ambientais, pois as populações que mais sofrem com elas são justamente as mais pobres, ignorantes e desassistidas. Além disso, se a pobreza acabasse e todos pudessem consumir como a classe média simplesmente não haveria recursos para atender a todos. O mundo acabaria.
Atualmente o debate propõe duas soluções diferentes para o problema:

    • Solução Tecnológica: ajustar o sistema econômico por meio de tecnologias que tentem diminuir os impactos da produção, despoluir rios, reaproveitar e reciclar recursos naturais etc. Enfim, fazer mais, gastando menos e afetando muito menos o meio ambiente.
    • Solução Político-Social: fortalecer a democracia e propor mudanças no modelo econômico atual na direção de um modelo que desenvolva igualmente as quatro dimensões da sustentabilidade. Ou seja, rever nossos valores e padrões de consumo.

A crise da sustentabilidade tem aspectos ecológicos, econômicos, sociais e políticos, por isso se diz que ela tem pelo menos quatro dimensões. São elas:

ecologicamente correto: buscar usar recursos hoje sem comprometer o futuro;

economicamente viável: prover o que as pessoas precisam para ter uma vida plena;

culturalmente diverso: viabilizar diferentes estilos de vida e formas de ser;

socialmente justo: reduzir a desigualdade social e dar oportunidades iguais para todos.

As duas aventuras a seguir são introduções ao cenário, por isso não são ambientadas em lugares específicos. A proposta é que, após jogar, os participantes identifiquem os problemas específicos das suas regiões e procurem transformá-los em narrativas lúdicas como essas.

    • AVENTURA SOLO Muiraquitã: encarte de jogador/a com regras de criação de personagem para baixar e imprimir frente e verso. A aventura solo pode ser ambientada em qualquer lugar ribeirinho que esteja sob ameaça de construção de uma represa.
    • AVENTURA PRONTA Muiraquitã: encarte de mestre com instruções de uso, regras do RPG para baixar e imprimir frente e verso. A aventura pronta pode ser ambientada em qualquer lugar que tenha uma área de preservação ambiental dentro de perímetro urbano.
    • Cartas de forma mística para preencher com as informações mágicas da sua personagem.

Links: