Kontos


As Desventuras

de Desiago Vitrúvio na Cidade de Ervantes, capital do Reino de Valencia. Publicadas n’A Gazeta de Ervantes, almanaque de notícias e curiosidades da Terra Nova.


Sobrevivente

“O que aconteceu? Eu não me lembro. Onde estou? Estou andando aos tropeços pela rua. Nossa, não me sentia assim desde que a juventude quando eu enchia a cara de cerveja e saía andando a esmo por aí como um bando de zumbis.


O príncipe audaz ou a princesa adormecida

Frio. Muito frio. Noite de inverno. Daquelas em que a garganta e as pontas dos dedos ficam doendo. Um vento gelado de cortar os ossos corria pela planície. A paisagem? Árvores sem folhas, galhos desnudos esticados para o céu em desespero. Colina cinza que se estivesse coberta de neve ao menos seria bonita. Pelo menos é o que eu penso. Apenas um cavaleiro ousava desbravar aquela terra erma. Mas, não era um cavaleiro qualquer. Era um príncipe!
Sua Alteza ao contrário de mim achava que aquela paisagem combinava com os habitantes locais: uma terra feia para uma gente feia que nem o demo.


Escolhas

O bebê chora com fome. A mãe o pega nos braços, cantarola, senta-se à cadeira e o coloca no peito para mamar. O bebê acalma. A guerreira acaricia a cabecinha em seu colo e murmura:
– Você não é toda minha vida.


A dama do lago

Lago, sereno e profundo. De dia, com o sol batendo em cheio, até parece de um verde escuro. Qualquer outra hora são águas escuras, tão escuras que não dá para ver o fundo. Tem vida ali. Peixinhos, sapinhos, tantas plantas aquáticas… Tem gente que imagina o que tem no fundo. Imagina, mas não mergulha. Porque quem entra no lago, não sai. Quando muito, grita antes de afundar. É o que dizem os moradores da vila. Confie em mim.


Encruzilhada
Encruzilhada, duas estradas, uma árvore velha e sem frutos marca o lugar de descanso onde se pode pensar sobre para qual lado ir.
A vila mais próxima não fica perto, mas dá para ouvir o sino da Igreja. Ainda falta um tanto para a meia noite, daquela que é uma noite sem lua. João do Cruzeiro se senta atrás da moita para esperar, mas sem cruzar as pernas para poder levantar rápido.


Entre a Cruz e a Espada
– Perdoe-me, padre, porque vou pecar.
Padre Fernão piscou os olhos sem entender direito. Depois tossiu e perguntou:
– Você quer dizer “perdoe-me, padre, porque pequei”, não é meu filho?
– Não padre, isso eu disse na minha confissão da semana passada. É do que eu ainda vou fazer que eu estou falando.


O herói, a contadora e o leão

Há heróis e heróis. Há aqueles que são invencíveis, há os que buscam que seu nome ecoe gloriosamente pela eternidade, há os que jamais desistem, há os que representam os maiores ideais de seus povos, há os charmosos e os durões, os bondosos e os cruéis. Há heróis para todos os tipos e gostos. Dentre eles, eu decidi acompanhar Golias.