Reino de Snifelheim

Reino Duergor que tem mais contato com humanos, elfos e nativos. Fica sob a Grande Cordilheira vai do extremo sul ao extremo norte da costa leste de Lunara. O rei é eleito pelo Alto Conselho formado por duques e condes, os quais tem bastante autonomia em seus territórios.

Sociedade
A sociedade de Snifelheim tem três linhagens: ígnea; sedimentar e basilar. Elas são visualmente expressas por meio de um triângulo equilátero cortado ao meio por uma reta perpendicular que divide a base em duas partes iguais.

Linhagens
Ígnea ou magmática: são os filhos do vulcão e da lava. O movimento inicial que gerou uma montanha, fazendo-a erguer-se do chão. Eles são os mais tradicionais, puristas e aguerridos. Dessa linhagem vem a maioria dos guerreiros e boa parte dos sacerdotes.
Sedimentares: as linhas que fazem os lados do triângulo correspondem à linhagem dos filhos do vento e da chuva, digamos os sedimentares. Como a montanha se ajustou aos elementos. Eles são mais abertos a mudanças e contatos com os outros povos, a grande maioria dos comerciantes e diplomatas vem deles.
Terrenas: são as mulheres duergor. Elas simbolizam a Mãe Terra de onde tudo provêm.

O Alto Conselho que governa com o rei tem um representante ígneo, um representante sedimentar e uma representante da Terra. Os homens seguem a linhagem de seus pais, as mulheres sempre são da Terra.

Além disso, a sociedade tem três camadas: basilares, mediadores e cimeiros.
Cimeiros: alta nobreza (duques e condes)
Mediadores: baixa nobreza (barões e cavaleiros); grandes comerciantes; mestres artesões.
Basilares: povo em geral; pequenos comerciantes; artesãos.

Relação entre os sexos:
Nasce uma mulher duergor para cada três ou quatro homens duergor. Por isso, a competição por uma mulher é acirrada entre os homens. Apenas os melhores conseguem se casar e procriar. Isso também as torna um bem valioso demais para que elas se exponham a riscos. Algumas mulheres duergor se dedicam ao comércio ou à diplomacia quando conseguem provar que a atividade é segura. Ainda assim, o mais correto para a maioria dos duergor é que elas jamais deixem as montanhas.